Associação entre o consumo alimentar e a calcificação arterial coronária em pacientes com doença renal crônica não submetidos à terapia renal substitutiva: o estudo PROGREDIR

Neste artigo, Machado et al. avaliaram a associação entre o consumo de macro e micronutrientes e a calcificação arterial coronária em pacientes com doença renal crônica não submetidos à terapia renal substitutiva. Para tanto, os autores utilizaram os dados da linha de base do estudo PROGREDIR. No estudo, o consumo alimentar foi avaliado por meio de um questionário de frequência alimentar e a calcificação arterial coronária foi mensurada por tomografia computadorizada sem contraste. A associação entre a ingestão de macro e micronutrientes e a calcificação arterial coronária foi avaliada inicialmente por modelos lineares generalizados mistos com distribuição gama e, em seguida, foi utilizada a regressão de LASSO, uma técnica de inteligência artificial que permitiu a identificação dos nutrientes mais relacionados à calcificação. Os autores verificaram que após ajustes para variáveis de confusão, as ingestões de ácido pantotênico, fósforo, cálcio e potássio permaneceram diretamente associadas à calcificação arterial coronária nos modelos lineares generalizados mistos. Devido à correlação elevada entre esses nutrientes, foi utilizada a regressão de LASSO para avaliar os nutrientes mais associados à calcificação. Os nutrientes que mais explicaram a variância da calcificação arterial coronária foram o fósforo, o cálcio e o potássio. Assim, torna-se importante o desenvolvimento de estudos que possam avaliar o papel de intervenções sobre a redução do risco da calcificação, considerando-se o seu importante papel na fisiopatologia das doenças cardiovasculares.

LEIA MAIS